Cinzas
Aquilo estava realmente acontecendo? Aquelas cinzas ali à nossa frente eram mesmo do poderoso Aro? Certamente sua morte iria repercutir por todo o universo vampírico. Muitos dariam tudo para ter presenciado tal acontecimento, afinal, Aro colecionara desafetos pelos quatro cantos da Terra. Quantos mais não teriam sido vítimas de suas artimanhas? Ele era a mente por trás dos Volturi. E agora, como seria sem Aro? 
Ainda estávamos digerindo aquelas reflexões e misturas de sentimentos, como alívio, tensão, pena e apreensão, que envolveram o julgamento e condenação de Aro e sua esposa Sulpícia, quando Marcus sussurrou o nome de Alec, como num comando oculto.
Inesperadamente, Nina foi ao chão, num estupor catatônico, como se tivesse desfalecido, apesar de se manter com os olhos abertos. Sua queda, fez com que Gabriel, o bebê imortal, rolasse à sua frente, sendo imediatamente amparado por Rosalie.
_ O que significa isso, Marcus? _ esbravejou Johan, sem entender o que estava ocorrendo, mas percebendo que aquilo era obra de Alec seguindo ordens de Marcus.
_ Johan, precisamos seguir os protocolos e quis poupar Nina de presenciar e reagir da forma que sabemos que reagiria diante do nosso veredito para esse bebê imortal.
_ Não, vocês não vão... Vocês não teriam coragem! _ desesperou-se Rosalie, diante da obviedade das palavras de Marcus, agarrando-se àquele pequeno ser indefeso e, ao mesmo tempo, letal.
_ Carlisle, por favor, poupe-nos de ter que tomar atitudes não programadas contra sua filha. Será que Alec terá que agir nela também?
_ Solta logo esse bebê, Rose! Por mim! _ pediu Emmet, adiantando-se ao pedido de Carlisle.
_ Rose, não haja irracionalmente. Se você realmente sente algo por esse bebê, então deixe-o cumprir seu destino. Essa criança transformou-se em algo que não tem a menor noção do que seja, e nunca terá, porque ela não teve a chance de crescer, desenvolver, aprender sobre a vida. Foi tirada de uma forma brutal de sua mãe, de sua família e predestinada a ser um predador insaciável. E tudo isso, por uma única finalidade: saciar o egocentrismo, a vontade doentia e desenfreada de duas vampiras que queriam ser "mãe". Mas isso é ser mãe? Pense bem, minha filha.
_ Você acompanhou o nascimento e o desenvolvimento de Nessie, Rose! Sabe a diferença de criar alguém e vê-la crescer e... e isso aí, que futuro terá? _ disse mamãe, apontando para o vampirinho _ Ele nem teve escolha, coitado! E você sabe bem o que é isso. Se existe vida após a morte, então que ele possa ter a sua chance de realmente viver seja lá onde for. Quem sabe não reencontre sua verdadeira mãe nesse outro mundo? Dê a ele essa oportunidade!
As palavras de Carlisle e mamãe, pareceram ter feito Rosalie repensar sua atitude. Principalmente a parte sobre "escolha". Então, num gesto realmente de amor, ainda que parecendo contrariar a si própria, ela se encaminhou até Marcus e lhe entregou o bebê. Feito isso, correu para os braços de Emmet, enterrando o rosto sobre seu peito.
_ Bem, acho que o veredito desta criança dispensa comentários. Não poderíamos deixar tal aberração viva por aí e arriscando nosso segredo. Não teria sentido ter condenado Aro e manter impune o objeto do crime que o levou à morte. Seria contraditório. Portanto, mantendo a lei que condena a transformação de tais criaturas em nosso meio... 
Confesso que, quando ele chegou nessa parte de sua sentença, não tive coragem de assistir o que viria a seguir. Se não havia querido assistir a morte de quem me desejara mal, imaginem daquele menininho, cuja aparência só nos remetia ao forte desejo de proteção e amparo? Então, fechei os olhos e aguardei o fim. O aperto da mão de mamãe segurando a minha me leva a crer que ela fez o mesmo. 
Pronto, estava feito! Agora era a vez de Nina ser julgada.
_ Marcus, antes que retorne com Nina, preciso que me diga: o veredito que a aguarda é o mesmo de todos esses aqui? _ perguntou Johan.
_ Não, meu caro Johan. Eu e Caius entendemos que Nina e você merecem uma segunda chance juntos. O caso dela é uma exceção.
_ E mais que isso. Gostaríamos de convidá-los a retomar seus postos junto aos Volturi. Você poderia ser um soberano Volturi ao nosso lado _ empolgou-se Caius.
_ Isso é algo que não decidirei sozinho, preciso saber qual o desejo da minha Nina. Mas já me sinto em dívida com vocês por saber que irão poupá-la. Ainda que não estejamos engajados à causa Volturi na condição de membros, serei eternamente grato e um vosso aliado, onde quer que esteja, cumprindo a minha promessa de não trabalhar mais contra vocês. 
_ É isso o que esperamos Johan. E saiba que o convite, já mencionado aqui por Caius, se estende aos seus filhos. Eles serão bem-vindos à guarda, se quiserem.
Vi no sorriso discreto de Ivan e Soraya que tal convite era algo desejado por eles. Já Angelina mostrou-se neutra, não esboçando qualquer reação. Nahuel, nem sequer se incluiu em tal convite, uma vez que não se sentia participante daquela família.
_ Eles estarão livres para decidir, inclusive Nahuel.
_ Obrigado, mas desde já deixo claro que não tenho o menor interesse. O caminho que quero seguir já está escolhido e não é ao seu lado, Johan, ou ao lado dos Volturi _ antecipou-se Nahuel.
_ Bem, então acho que já podemos prosseguir. Bella, a aconselho usar o seu poder para proteger sua família e amigos e, se não for abuso, peço que proteja também minha guarda, pois a proteção de Raquel só funciona pra ela e para quem suas mãos tocam, ou seja, eu e Caius. Johan, você acha necessário que você e seus filhos...
Antes que Marcus terminasse, Johan respondeu.
_ Não. Nina não faria mal a mim. 
_ Mas e a nós? Não estou certa disso. _ preocupou-se Soraya.
_ Bem, não me custa mantê-los seguros também. Podem juntar-se a nós, por precaução _ ofereceu mamãe.
Uma vez todos precavidos de uma possível ação de Nina, Marcus deu a ordem:
_ Alec, pode liberá-la...
E como num abrupto retorno à "vida", tal como alguém que recupera o fôlego num estalar de dedos, Nina "acordou" do transe provocado por Alec, meia desnorteada. Sem pensar duas vezes, procurou, desesperada, o seu pequeno Gabriel, que percebera não estar mais em seus braços. Sua procura terminou ao avistar o montinho de cinzas, ao lado dos outros dois montes maiores, ainda em brasas, bem ali à sua frente.
_ Meu filho? _ afligiu-se com as mãos sobre a cabeça, ajoelhada. E, engatinhando até os restos do bebê, começou a juntar o pó e amontoá-lo em sua saia _ O que vocês fizeram a ele? O quê? Seus malditos!
Johan, pôs-se à sua frente, segurando-a pelos ombros e tentou fazê-la ouvir o que tinha a dizer.
_ Nina, pare com isso e olhe pra mim, antes de tomar qualquer atitude. Somos só nós agora. Não estou protegido como eles. Seus poderes, se usados, não atingirão mais ninguém a não ser a mim. Portanto, se achar que mereço ser punido por não ter defendido o seu bebê, estou aqui. Mas se puder ouvir o que tenho a dizer, por favor, ouça!
_ Por que deixou que matassem meu Gabriel? Por que? Por que?_ repetia, inconformada, mas não demonstrando forças ou desejo de punir Johan.
Olhando firme para Nina, a impressão era que Johan sabia exatamente o que dizer. Como ele conseguiria fazer aquela vampira aceitar tamanha perda? O que poderia convencê-la de que tal decisão fora o melhor para aquela criança. O amor do companheiro reencontrado seria suficiente para substituir o sentimento que Nina nutria pelo bebê? Eu realmente não via como aplacar aquela dor. Afinal, mesmo se tratando de uma relação doentia e estranha, ela se via como "mãe" daquele imortalzinho. Isso sem levarmos em conta que ela não tinha a menor noção do real significado desta palavra.

21 comentários:

  1. jessica disse...

    Ah!!!! Monica, que coisa mais triste, não estou criticando sua genialidade, afinal entendi os motivos que levaram a essa decisão mais fiquei pesarosa pelo bebê, afinal, é uma bebê... Mas estou feliz pela forma sutil que o amor foi esboçado entre Nina e Johan, é delicado e presente como temq ue ser, adorei.
    beijos  

  2. Leh!!! disse...

    Também fiquei triste pelo bb, mas entendi q ele devia mesmo passar por aquilo.
    E eu ainda nao acredito q Aro morreu!! rsrs
    Adorei Mônica!!
    Tô ansiosa para o proximo capitulo!!!  

  3. Soraya disse...

    AI!Mônica ,graças a DEUS!
    Do modo q vc colocou a situação.Senti q ele tava sendo libertado.
    Muito triste,mas ele tava livre.
    Acredito q a pior coisa no mundo é ñ ter escolha.
    E REALMENTE ESSE BEBÊ Ñ TINHA.Ía continuar matando enquanto vivesse.
    Então...foi um tiro de misericórdia.
    ÓTIMO!FABULOSO!EXCELLENTE!FANTASTICO!
    Parabéns,bjs  

  4. Anônimo disse...

    Concordo com todas vcs, tive dó do bebê mas ele nao vivia como deveria ser e sim como um escravo de sua sede por sangue, matando cada vez mais pessoas inocentes, sem ao menos ter a consciência do que fazia...
    Muito bom esse capítulo...
    bjuss Polly  

  5. Anônimo disse...

    Monica vc escreveu "espalhos" creio que vc quis dizer espalhados, "predestina" creio que seja predestinada
    bjuss Polly  

  6. Monica Marinho disse...

    Vou contar um segredo p/ vcs: a morte do bebê já estava programada há muito tempo. Eu sempre soube que ele morreria. Mas confesso q ontem, na hora de concretizar o fato - acho q até por eu estar grávida, prestes a ter o meu bebê - fiquei com dó e repensei sua morte. Mas cheguei à conclusão que era o melhor pra ele. Essa criança não vivia, apenas supria a necessidade de Nina ser mãe. E era objeto da morte de várias mulheres que acabavam sendo sacrificadas só para saciar sua sede insaciável. Imagina um bebê que não cresce, não se desenvolve mentalmente... Acho q ele foi liberto dessa sina maldita. É isso.  

  7. Monica Marinho disse...

    É vdd, Polly, as duas palavras saíram com erro de digitação. Valeu, mais uma vez, pela revisão. Já tô corrigindo. Bjkss!  

  8. Nathy_bells disse...

    Ainda bem que a Rosalie anão interferiu ... até que os Volturi sem o Aro são legais hauhauahuaa

    Mô vou ficar com saudade da sua fic :'(  

  9. jessica disse...

    Monica, queria saber se você pode dar uma olhada na minha fic e se achar legal se poderia por o banner dela aqui no Twilightemania, esse link http://fanficbillycullenblack.blogspot.com/
    Se não gostar ou não puder tá tudo bem tambem, beijos  

  10. Anônimo disse...

    Nayara:Que legal,fiquei com peninha do bebe,mas concerteza é o melhor.Talvez eu não bote comentário nas próximas semanas pq to de mudança para o interior de SP.Beijos  

  11. Monica Marinho disse...

    Vou olhar sua fic sim, Jéssica. E é claro que posso colocar um banner aqui no blog p/ divulgar. Imediatamente!
    Bjão!!!  

  12. Monica Marinho disse...

    Nayara, vc está de mudança? Boa sorte na nova casa!!! Deus a abençoe!  

  13. jessica disse...

    obrigada Monica adorei o Banner!!!, e ai você gostou?  

  14. Julia disse...

    Coitada da Nina!!
    Adorei a forma sutil que você colocou toda essa situação, acho que a forma como Carlisle e Bella explicaram para a Rose foram a chave !!
    Espero que a Nina pense que o bebe vá para um lugar melhor !!

    E adorei a idéia de imprimirem e fic !!

    Beijinhos ;** E mais uma vez parabéns por este talento incrível que você tem Monica !!  

  15. jusara disse...

    Amiga vc só nos surpreende! Pochá foi ótimo esses dois veredito,você arrasou,sabe já estou começando a sentir saudade de vc ,de poder postar comentarios,de me comunicar com vc e com as outras fanfics gosto muito desse blog e não quero perder a sua amizade. Bjinhos dessa sua amiga jussara.Ha! como é que vc vai fazer para mandar o livro de Renesmee para nos em!!!!!!!!!  

  16. Deê disse...

    Aiin, que triste=(Quando sai o proximo capitulo?
    Beijos  

  17. Anônimo disse...

    MÔnica tÔ endoidando pra saber o resto da estória quando sai a próxima parte ????

    A como vai o seu bebê?? Espero q ele chegue com saúde !!!
    áh já sigo o @Twilightemania
    me segue tbm @darleidemaria !!
    adooooooooro a fic muito legal !!!!!!
    by: Darleide  

  18. Anônimo disse...

    Mônikinhah!!! Qdo tem mais capítulo???
    Bjinhosss Polly  

  19. Monica Marinho disse...

    Brigadão, Júlia e Jussara!!!
    Deé e Polly, o próximo sai daqui a pouco. Tô me preparando para postar mais uma parte já, já.
    Darleide, bem-vindaaa ao grupo!!! Já tô te seguindo no Twitter e vê se não endoida, menina, pq já tô postando mais uma parte. Hahahahahahah! Bjão!  

  20. Deê disse...

    Que bom Monica!Adooooooro a sua historia,venho lendo a um tempo mais me senti com o pé atraz de postar,eu ja to enlouquecendo sem outro capitulo, mais se prepara aii,taadinho de Gabriel:(  

  21. Anônimo disse...

    Mônica! Paula de novo, haha. Não vi seu comentário no post da capa... saiu direitinho? QUE IDEIAS BRILHANTES! MEUS PARABÉNS! Agora que a tensão acabou, mal posso esperar pelo casamento de Nessie e Jake! Espero ansiosa todos os dias pelos próximos capítulos. Beijos, se puder, me responda! Adoro saber que você lê meus comentários!  


 

...