Mais um dia
Será que Jack sente os mesmos desejos que eu? Se quisesse, poderia muito bem compartilhar meus pensamentos com ele. Bastaria um toque. Mas não tenho coragem. Apesar de toda essa história de imprinting, não sei bem o momento em que ele deixará de me olhar como criança para me olhar como mulher. Eu precisaria ter certeza de que essa mudança já aconteceu. Até então, eu apenas tenho a impressão de que ele corresponde meus sentimentos. É impressionante, mas Jacob, apesar de “mais velho”, às vezes é tão bobão e infantil. Não percebe o óbvio? Penso que a culpa é dos meus pais. Talvez se não estivessem sempre em cima da gente tomando conta, algo já tivesse acontecido.
Hoje não está sendo um bom dia. Talvez seja justamente porque Jacob resolveu visitar Billy em La Push. Parece que o pai de Jacob não anda muito bem de saúde. Apesar de a irmã dele estar lá, ele precisou ir pessoalmente ver como estão as coisas. Queria tê-lo acompanhado. Quem iria saber quem eu sou? Da última vez que me viram por aquelas bandas, eu tinha a aparência de uma menina de 5 anos. Além do mais, também estou preocupada com Billy. Mas nem meus pais e nem Jacob acharam muito seguro e blá, blá, blá... Essa superproteção, às vezes, é um exagero. Uma encheção de saco!
Adoro La Push. Acho lindo aquele lugar e as pessoas de lá. Antes de nos mudarmos, Jacob me levou para conhecer seu “habitat”. Fui muito bem recebida. Comi uns muffins deliciosos na casa de Emily, a mulher com marcas no rosto. Lembro-me dela apertando minha bochecha e dizendo que eu tinha os olhos e os cabelos de mamãe; e de Seth comentando que meu sorriso "torto" lembrava muito o de meu pai. Seth é surpreendente. Papai o adora!
Durante essa minha ida à La Push, tive a oportunidade de tocar Sam, amigo de Jacob, e mostrar-lhe o quanto eu e minha família éramos agradecidos a ele e aos outros rapazes que se juntaram a nós contra os Volturi. Senti, naquele momento, que se faltava alguma coisa para firmar aquela parceria entre os Cullen e os lobos, esse algo foi suprido.
De qualquer forma, desta vez eu não pude acompanhar Jacob e rever meus amigos de La Push. Tive que ficar aqui, com esse vazio no peito, suspirando pelos cantos. É assim que me sinto longe de Jake.
“Nessie?”, me chamou Carlisle, debruçado em seu notebook, olhando atento um site sobre genética, me despertando de meus pensamentos tão distantes. Vovô faz plantões no hospital público local à noite e durante o dia aproveita para estudar algumas doenças novas e entender outras antigas, que o homem ainda não conseguiu descobrir a cura. Apesar de não termos ligações genéticas, de alguma forma "herdei" esse desejo de cuidar das pessoas, tal como Carlisle. Aliás, eu trago um pouco de cada um da família em mim: o amor de Esme pelas pessoas, o jeito brincalhão e competitivo de Emmet, a vaidade – numa dose menor - de Rosalie, o carisma de Jasper e a delicadeza e vivacidade de Alice. Alice às vezes me lembra mais uma fada do que uma vampira. Adoro ir às compras com ela.
“Sim?” respondi ao chamado de Carlisle, interessada sobre o que ele traria de novo, desta vez, para o meu aprendizado.
“Veja que tipo interessante de cadeia genética”. Carlisle adora compartilhar comigo seus achados. Estou sempre tão sedenta de conhecimento. Fui imediatamente olhar a figura no notebook. Papai e mamãe estavam na faculdade naquele sábado, fazendo um trabalho em grupo. Apesar da idade real deles – principalmente a de papai –, os dois eram bem convincentes como um jovem casal apaixonados e muito dedicados aos estudos. Até porque era exatamente isso o que eram.
Se alguém tinha que representar bem aqui em casa, esse alguém era eu, pois para os humanos, eu era a irmã mais nova da minha mãe. Então, em público, eu tinha que me esforçar para não tratá-los como meus pais. Quanto aos meus tios, cresci chamando-os pelos nomes. Isso me poupou mais essa preocupação na presença de estranhos. Jasper e Emmet estavam cuidando de uns documentos novos naquele dia, num escritório de advocacia em Anchorage. Uma indicação de seu antigo contato em Por Angeles. Rosalie, estava dando uma verificada em sua mais nova aquisição: um Audi R8 vermelho. Vovó e Alice trabalhavam juntas em uns projetos de decoração.

10 comentários:

  1. giovana disse...

    Umaa foto mais linda que a outraa !!!  

  2. Anônimo disse...

    ahhhhhhhhhhh nem sei o que achei mais lindo e legal viu, ta dificil dizer. Mas ainda bem que o Carlisle apareceu kkkkkkkkkkkk.
    Beijos e bem lembrado o fato de chamar a mae de irmã, bem lembrado mesmo beijos.
    Marye.  

  3. Anônimo disse...

    adorei  

  4. R. Pattz News disse...

    Carlisle sempre ajuda ein!
    HSAUUSAHUSAHASHUASHUASHUS  

  5. I Love Twilight Brasil disse...

    Adorei, Nessie é mesmo muito linda...e tem um quê de cada um dos Cullen...
    você pode seguir o caminho de escritora...  

  6. carlita fogo disse...

    sera q temos uma futura escritora aqui hein???
    ta arrasaaaaaaaando na historia!!!  

  7. Alice disse...

    Tô amando !

    Aline *  

  8. FAbiana disse...

    Tô amando a história, mto mto mto legal! =D  

  9. Loraine disse...

    Ahhh!!! Tudo perfeito,Amei...  

  10. Anônimo disse...

    Meu deus vc escreve muito bem, fico lendo e posso deixar a minha imaginação voar longe!!!vc é o ,maximo!!!!  


 

...